Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Teresina, 22 de fevereiro de 2019

Ana,


Que saudade que eu tenho sentido de você. De tudo mesmo. Ontem eu tava me lembrando desde o primórdio, aquela primeira vez que eu te vi. Quanto sentimento adverso, mas no fundo eram caminhos iguais. Já te confidenciei isso. Saudades de te ouvir contando histórias: da menina que fugia de bicicleta, da menina que fugia da escola, da menina que gostava de livros. Gostava daquela história da menina que volta vez ou outra pra cidade pequena e deixava saudade, mais saudade.
Lembro como as músicas te tocavam, como você era sensível, às vezes. Sim, você é doce, não imagina o qua
nto. Ah, lembrei também daquelas noites que saíamos pra beber, afogar as mágoas que no fundo nem tinhamos, ou tinhamos? Você colocava a cerveja na minha boca como se eu fosse criança e eu ria e ria. Cantávamos em voz alta: Será que as estrelas são goteiras do telhado de Deus? Porque sei que as goteiras são estrelas do telhado meu! Você elogiava tanto a minha voz, é minha amiga mesmo, amiga besta. A gente faz uma boa dupla. Sempre fez.
Lembra quando eu comentei que teu nome sempre tava em todo lugar? Na música de Fernando Anitelli, de Ana Cañas, sua chará e nos contos de Caio. E eu trago teu nome de novo, aqui, por mim, por saudade.



Um enorme abraço, grande mesmo sem exagero, minha 'zamica',

Jéssica
.


Um comentário:

  1. muito gay! mais adorável, quero saber que dia vai ter um texto pra mim aí /lixa. adeus, LORENA!

    ResponderExcluir