Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Metafórica Mente




E eu aqui. Sabe aquelas horas de solidão? Aquele momento só seu? Que você sempre tira pra fazer alguma coisa ou nada. Que assim como eu, pega uma folha em branco pra escrever, com nada pra forrar, encima de um colchão morfado. Lápis nº2 preto, uma lapiseira azul e borracha vagabunda que mais borra do que limpa. Ou faz nada. Nada. Tenho inveja dos que não fazem nada. É sinal de que já tem tudo resolvido. Roupas lavadas e engomadas encima da cama de lençóis coloridos e perfumados. Cabelos sempre penteados sem nenhum fio fora do lugar. E eu aqui usando minhas horas vazias com minha escrita rápida. As linhas definitivamente não são retas, mas é que tenho pressa. Minha letra é torta. E ainda quero ao menos tentar arrumar um pouco do meu cabelo com os minutos vazios de sobra. Tomar um café com mais leite que café pra mandar embora a preguiça. Ainda tem tempo. Minutos. E não tenho nada resolvido. Unhas pra pintar. Coração pra bater. Emprego pra arranjar. Curso pra largar. Escolhas pra fazer. E esse calor que traz o mês de setembro só piora a situação. Ao invés de água, eu bebo vodka com gelo e limão. Nada de açúcar na minha bebida. Nada de doce. Não 'tá' sendo nada doce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário