Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Fácil

Falar de ti se tornou tão fácil...é o que tá sempre por perto, o que não me abandona, o que aguenta minhas grosserias, o que não me deixa triste, o que me entende sem precisar usar muitas palavras. E, viver sem ti ter por perto é uma coisa que passa longe dos meus pensamentos. Eu te desejo toda a felicidade do mundo. Aprendi muito contigo mesmo sem demonstrar. Te amo mais e mais. Conta sempre comigo, porque eu sei que posso contar contigo. Por toda a vida.

Sobre um amigo

E a gente ganha de amigos...AMIGOS! Eu ganhei você. O que me fala coisas bonitas com a maior facilidade do mundo, e mal sabe que ta me fazendo ganhar o dia. O que me chama pro cinema e mal sabe que ta me tirando da solidão. Um dos poucos que eu sei que podem passar dias, meses...séculos sem nos encontrar, mas quando nos enxergarmos em meio à multidão, eu vou correndo pra te abraçar e sei que você virá na minha direção.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Sua chance

Devia ter te dado valor quando me foi dada a chance. Devia ter percebido o amor que tu me tinhas. Devia ter notado teus pequenos atos. Devia ter retribuído a proteção. Devia ter aproveitado cada bom momento. Devia. Foi no passado. Hoje, você tem um alguém que retribui. Alguém que te deu uma chance. Alguém que te ama, então...alguém que te faz feliz.

És meu passado

Te considerava o meu melhor amigo. Você me completava de um jeito que eu não sabia nem ao menos entender. Mas mudou o meu sentimento. Me apaixonei por você. Me apaixonei pelo que você era, pelo que representava pra mim. Me sentia protegida. Lembro que a gente se falava todos os dias por telefone sem importar a hora. Lembro que a tua presença me fazia bem. Lembro que a gente saía pelo simples fato de sermos companhia um para o outro. É, já faz um tempo isso tudo. E isso tudo me fez muita falta quando a gente se esqueceu. Lembro de muitas outras coisas. Esqueci de outras também. Mas lembro perfeitamente que eu era a garota certa pra você.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Você se foi...

A noticía fez o tempo parar. Fiquei parada por alguns segundos. A ficha não caiu, e não vai cair. Foi tudo tão inesperado. Ainda tinha esperanças, ainda vou falar de ti como se estivesse aqui entre nós, só que um pouco mais distante. Quem me dera eu te sentir novamente. Quem me dera eu pedir tua benção. Quem me dera eu escutar tuas broncas. Não aceito ter te perdido.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Eterno

É forte quando tem que ser, é fraco quando necessita e às vezes cheio de mordidas. Nem muito seco nem muito molhado. Pra mim parece encaixar-se, é milimetricamente perfeito, satisfatório. Depois que provei de você, todos os outros parecem não ter importância. Pra mim foram os melhores beijos.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Apesar de, se deve acordar...

Você não vai sentir a minha ausência. Vou me recolher naquele antigo canto de onde não deveria ter saído. Não vai sentir falta da minha voz, tampouco do meu carinho meigo e bruto. Você tem outros amores, outros mil sonhos diferentes dos meus e prioridades que não sou eu. Eu vou sentir falta de mim, do que eu sou quando fico perto de ti. Sei que não vai sentir falta de mim. Sei que você não faz tanta questão assim.

domingo, 22 de novembro de 2009

Senhora solidão

Olha lá ela de novo, passando sozinha e pensativa. Talvez pense na vida, talvez cante uma canção. Talvez seja a mesma canção que eu tinha ouvido ela cantarolar quando não estava sozinha, a canção que falava de amigos, sol, mar e amar. Talvez ela pense nele. Talvez ela pense neles. O semblante dela tá diferente. Talvez ela se sinta mais leve, mais mortal. Talvez ela queira agora parar e por ali ficar. Ela parou. Me sinto confusa, tenho certezas e dúvidas de que em nada ela quer pensar, pra vê se tira o pesado ar que ela insistia em respirar. Ela começou a cantar de novo. Ela continua lá parada no mesmo lugar com ou sem seus pensamentos. Ela sorriu. Agora ela canta bem mais alto uma outra canção sobre alegrias e solidão. Talvez ela pense que é bem melhor ficar só.

Longe...lá de longe

Me encantei. Por esse caminhado engraçado. Por esse sorriso marcante. Por esse olhar intrigante. Não sei se conseguiria abrir a boca perto de ti. Prefiro só te olhar. Prefiro te ouvir e não te falar. Quero mais é saber de você. Quero conhecer o timbre da tua voz. Saber teu signo. Tuas manias. Conhecer tuas vontades. Mas eu gosto é assim. Você distante de mim.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A incrível história de...

E lá está no canto da sala, quieto. Não consigo nem falar, só contemplar os verdes olhos, ah...como eram verdes e enormes...podia me inundar naquela imensidão verde-mar. O que tinhas por trás desses olhos? Me prendiam, me imobilizavam, me congelavam. Te encararia se antes não precisasse encarar teus olhos. E se me olhas quero entender, entender o que queres dizer com teu olhar, quero compreender o que não falas e só demostras, o pouco que demonstras...Quero compreender tudo, o possível e o impossível. Quero te entender. Te ler como a um livro e fazer minha resenha.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Sem destinatário


Eu nunca te escrevi. Eu nunca te falei. Nunca trocamos frases completas e complexas, mas nunca foi preciso. Não pra mim. Eu nunca te vejo o suficiente pra matar a minha vontade de você mas aproveito ao máximo. E os outros dias e noites? Bem, os dias e noites que não nos vemos nem nos falamos parecem não passar. Olho pro relógio e é a mesma hora da última vez que olhei. Não, o relógio não parou, são os segundos, minutos e horas mais longos, mais inacabáveis que existem. Eu fico aqui pensando no que você faz nesses dias, aonde e com quem, quase enlouquecendo. Eu penso em você. E fico na esperança de existir um pouco de mim nos teus pensamentos. Só um pouco, é só isso que queria, nada mais. Se tratando de você, eu nunca peço muito, apesar de querer. Eu não tenho direitos sobre você. Eu sei.