Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

domingo, 27 de junho de 2010

Aluguel


Eu sempre vou te escutar mesmo que eu não tenha nada a dizer. Entenda o meu silêncio nessa hora. Entendo teu mar de palavras jogadas. Eu não quero te ver sofrer, nem chorar. Eu quero muito te ver feliz. Teu coração é uma morada boa e pura. E ele anda cansado por ter inquilinos desmerecidos. Ele vai precisar de uma reforma, assim como você. Mesmo vocês sendo um só. Tem que ser por um tempo o morador do seu próprio coração, pra depois haver outro inquilino. Ou quem sabe um comprador, que não queira devolver nunca mais. Jamais. Mas tem coisas que só o coração sente, como uma brisa fina e leve. É o começo de tudo.

Deságua



E a chuva veio de repente,
e bem devagar...
E não vejo a hora dessa água derramar no mar.
Purificar.
Olhar pro horizonte e recordar só do que faz sorrir...
Do que faz amar. Sentir...
Viajar.
Respirar do teu mesmo ar, felicidade.
O pensamento vai longe,
Voa.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Quando ama...

Coração, amor é loucura,
Me apaixonei por um olhar,
Por gestos, manias, sorriso aberto,
Não haviam palavras pra falar,
A gente ama, e só,
E tenta fugir do que pode ficar,
E é impossível explicar.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Infância

Correr e não precisar olhar pros lados.
Cair no chão e rir, mesmo se machucando.
Rodar de braços abertos, bagunçando o cabelo.
Ver a flor cair do galho mais alto.
(pegar a flor e entregar pra pessoa que mais ama)
Pedir pela bola como se fosse alimento
Abraçar como se fosse o único cumprimento [...]

sábado, 12 de junho de 2010

Corriqueiro


'Todo esse meu drama já é de berço,

de signo,
de sina.
Certas coisas nunca mudam ou passam.'

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Todos querem saber de você




Toda vez que eu passo em meio aos meus desconhecidos,

sinto olhares tortos.

Toda vez que eu passo em meio aos que me conhecem,

sinto que perguntam por você.

Changes



Há algum tempo atrás eu escrevia.
Hoje, não escrevo mais.
As palavras me fogem,
os sentimentos também.
Estou sem defesa, sem proteção, sem refúgio.
Não tenho mais o que antes me acalmava.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Testamento¹



Chegou a minha hora. Queria ficar, mas tenho que ir. Deixo-me aqui um pouco em cada um. Levo comigo os meus sentimentos. Não deixo nenhuma dor. Deixo o meu lamento de não poder estar com vocês em corpo, mas estarei em espírito. Guardem as nossas lembranças. As longas caminhadas enquanto sol e enquanto lua, as caminhadas faziam-se curtas. As manhãs que eu fazia questão de despertá-los. As conversas bobas ao telefone, os risos espontâneos, altos, fortes, baixos, escândalosos, em má hora, na hora certa...os silenciosos. As histórias contadas, as suas histórias, as nossas histórias, as que eu não soube contar. Os encontros por acaso, os reencontros engraçados.



[continua]