Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

terça-feira, 29 de março de 2011

Tempo bom que não volta mais



As cantorias desafinadas. 
As confissões do passado. 
Os conselhos dados. 
Os choros angustiados. 
Os risos exagerados.
[...]

Você é uma bomba relógio que pode explodir a qualquer momento. Quanta intensidade. Quanta sede de fazer qualquer coisa agora e não daqui a um minuto. Você é assim, sempre foi. E eu te aceito e prefiro assim.

[...]

-


Mania feia de confiar em todo mundo. 
Mania feia de esperar alguma coisa de alguém. 
Mania feia de não acreditar em si.


quarta-feira, 16 de março de 2011


'Quantos desafios pra ganhar, quantos obstáculos pra vencer. A maioria deles dentro de você.'


segunda-feira, 14 de março de 2011

Assopra

.
No meio da noite enquanto a gente desnorteia,
Olhares que se encontram, abraços que se fecham,
Cigarros e beijos de todos os sabores,
Copos com marcas, garrafas vazias,
O vento diz muito aos ouvidos acordados:
Sumir, sumir, sumir.
Pernas cansadas, cabeça tonta, mente perdida,
Sensação inconsolada, desequilibrada,
Caminho longo, rua deserta, agora sem companhia,
Agora sem ninguém à vista,
Com a boca cheia de arrependimento,
Com passos aflitos na volta pra casa,
Céu solidário, agora a lua faz companhia. De longe.
A-briSa-sopra.

 '
'Eu prefiro tudo como antes e pouca coisa como agora.'

'

sexta-feira, 11 de março de 2011

 '

'Meu peito ainda dói...quando eu respiro e enquanto emprego o coração'
'

Traição:
falta de caráter,
falta de palavra,
ato de covardia.


'

quarta-feira, 9 de março de 2011

'
Escrever faz um bem. Faz companhia. Cada letra. Cada palavra. Cada frase. Cada desabafo. Um todo e qualquer resto.
Por mais que seja tudo repetido. Tudo acaba sendo novo, fazendo ou não sentido.
É como cada copo de água que bebo pra matar a sede. Cada palavra que escrevo pra deixar guardada.
Quero escrever uma só canção. Uma única vez. Pela última vez, eu peço inspiração.

Nada tem fim, muito menos essas palavras aqui.

.

sábado, 5 de março de 2011

'



'O desamor querendo ou não ainda é amor! Ainda é inspirador. Inspira - dor. Inspira - amor'



terça-feira, 1 de março de 2011

Te echo de menos



Eu sempre tenho saudade. Uma saudade absurda de cada um que conheço e tenho. De cada um que tive. Uma saudade diferente, mas igual. Uma saudade forte, possante, consistente. Uma saudade que às vezes até me faz mal, mas que enfim tenho que aturar porque essas saudades, tenho fé, ainda vou matar.