Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Número confidencial



- Alô?!
- ...
- Alô?!
- (respira fundo) Oi tudo bom?!
- Tudo. Quem tá falando?!
- Ninguém.
- Como assim ninguém?!
- Se eu fosse alguém pra você...você ia lembrar de mim.
- Mas não tô reconhecendo a voz.
- ...ía lembrar da minha voz.
- Mas quem é?
- Ninguém...já disse.
- Todo mundo é um alguém. Me fala quem é.
- Um alguém que não achou um outro alguém pra ocupar o teu lugar. Um alguém que não suporta saber de notícias suas com outra pessoa, mas não vivo sem um sinal teu. Como foi que tu conseguiu me dominar em tão pouco tempo? O que eu sinto por ti me consome por completo e eu sei que é em vão...infelizmente. Tudo foi em vão.
- Olha, você não quer me dizer quem é...fica ai falando um monte de coisas sem sentido...
- É, tem razão...não tem sentido...nem ao menos eu tá te ligando, mas...
- Mas o que?
- Tava me consumindo a vontade de te ligar, ouvir tua voz, te falar tudo que me tapou a garganta enquanto os meus olhos choravam...eu enfraqueci ao te amar.
- Eu sinto muito.
- Não sinta....é tarde demais pra você sentir alguma coisa.
- Você já acabou?!
- Ainda não, mas um dia acaba. Vou desligar.
- Não vai falar teu nome?
- Isso nunca importou. Adeus.
- Até logo.

Um comentário: