Reticências

marcam uma suspensão da frase, muitas vezes a elementos de natureza emocional. Indica um pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite a omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é. (...)

terça-feira, 9 de outubro de 2012




Querido diário, 

Os dias estão passando devagar, mas eu aceitando cada segundo. É bem verdade que eu estraguei tudo, é bem verdade que não sou só eu que sofro. Espero que estejam certos quando dizem por aí que vai passar. Eu, sinceramente, já não me importo comigo. Folheei você e encontrei um trecho que pode resumir um pouco-tudo: 
"Não sei o que estão reservando pra mim, mas queria muito que você tivesse um cantinho nele, mesmo que longe, mas que permanecesse. E que eu tivesse um cantinho aí também, mas sem distâncias. Queria ficar por perto." 
É bem verdade que só de dá valor quando se perde, eu sei disso muito bem agora. Perdi uma das coisas mais valiosas. Eu só queria que soubesse. 
Hoje visitei a universidade e uns amigos e o assunto era o mesmo. Cortei o cabelo e nada mudou. Peguei o mesmo ônibus com quem não queria me ver. Desci na parada que eu não queria descer e ainda assim nada mudou. Eu queria dizer que nada mudou em relação a outra coisa, mas eu fiz com que mudasse. Acho que precisando comprar livros novos, afinal, os dias vão ser mesmo longos.
Eu não queria que você tivesse derrubado lágrima nenhuma, queria que soubesse. Queria eu ter dito o que uma escritora escreveu: "Me beija pela última vez. Pra eu poder levar o teu gosto comigo. Pra ter o que recordar. Sei que tudo acabou, mas eu queria te beijar mais uma vez. Preciso te sentir mais um instante. Te tocar. Te amar. Pra deixar aquela saudade. Pra te deixar com vontade. Vontade de deixar meu gosto contigo. [...] Mas me beija e sai correndo. Vai embora logo." 

Porque eu não te mereço mais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário